>

Como a Constelação pode nos ajudar a pensar no tema da Conciliação e da Mediação no Judiciário?

Como a Constelação pode nos ajudar a pensar no tema da Conciliação e da Mediação no Judiciário?

Sou advogada desde 2003, em 2013 iniciei uma busca com formações de terapias integrativas, em 2015 iniciei o trabalho com as terapias, em 2018 fiz a formação de conciliadoras e mediadora, agora estou em formação de consteladora familiar.

A frase mais comum que ouço ao exercer a advocacia é: “se a Justiça for feita, eu ganho este processo”.

 

A visão de uma advogada dos litígios judiciais familiares

Honestamente a área de direito familiar é a que não gosto de atuar, pois de praxe, um processo levava a outro ou outros, igualmente as pessoas se odiavam e geravam relações desequilibradas, criando aos parentes e amigos em comuns disputas de afinidades, geração de calúnias e necessidade de buscar atingir ao outro, medindo forças através dos filhos, do patrimônio, das finalizações ou arrastamento das relações e outros, tudo isso transformado em processos.

Um entendimento que obtive com o labor de advogada é que o Direito é subjetivo, o que uma parte entende por Justiça para o caso dele é muito pessoal, o mesmo ocorre com a outra parte, quando em litígio judicial e estas partes chamam um terceiro, no caso um juiz, que não as conhece e as suas questões, este terceiro receberá informações e tomará uma decisão, conforme as leis vigentes, o entendimento e a experiência dele.

O pior advinha no momento em que era proferida a decisão judicial, sempre esperava que os juízes não decidissem em audiência, o que evitava enfrentamento das partes entre si ou com o juiz, afinal sempre uma parte perde, ou quando a decisão dividia os direitos e obrigações entre as partes, nunca ficavam satisfeitas por não ganharem tudo. Criando a necessidade de recursos e/ou novos litígios, para apaziguar almas “justiceiras” ou incapazes de lidar com as situações vividas.

Cada audiência ou andamento do processo no fórum gerava uma nova visita do “cliente”, que revivia situações que passou com a parte adversa, trazendo à tona sentimentos como dor, tristeza, raiva, medo, vingança, ansiedade etc., como se aquele evento que gerou o processo tivesse acontecido agora e não há anos ou meses.

Ao invés de resolver parece que o problema aumentava exponencialmente ao adentrar o sistema judiciário.

 

O momento de transição

Iniciando a minha mudança pessoal com o estudo das terapias, o conflito era muito exaustivo e apenas uma decisão de um terceiro, sem a resolução interna das questões geradas aos clientes e arrastada ao olho do furacão por suas mazelas pessoais, abracei outro ramo do Direito.

Eis, que com a mudança do CPC, trazendo a obrigatoriedade das audiências de mediação e conciliação, uma amiga, V, me intimou a realizar a formação e fiz este investimento, de início com a prática que tinha das audiências então realizadas na legislação anterior, achei que perderia tempo e dinheiro nesta formação.

Mas fui surpreendida, as conciliações e mediações foram humanizadas, com a real função de abrir o diálogo entre as partes e mais com a obrigação de manter a NEUTRALIDADE, o que sentia que não ocorria anteriormente.

Caros amigos, conciliadores e mediadores, neste momento, quero que entendam a causa de muitos advogados não permitirem que a parte se expresse na conciliação ou mediação, o que ocorria e que infelizmente ainda ocorre, devido a profissionais que não seguem as normas da legislação, resultou em um grande receio do mau trato dos conciliadores com o cliente, suscitando no advogado a necessidade de tomar a palavra e evitar tais fatos.

Atuando na conciliação e mediação, com a prática e as ferramentas aprendidas, ficou viável o progresso nas audiências com a colaboração das partes.

As constelações familiares abrilhantando as mediações e conciliações

O Direito brasileiro com o olhar humanizado, investindo na pacificação e resolução de conflitos, empresta nova roupagem de acessibilidade aos usuários dos fóruns enriquecidos com as Constelações Familiares, através do juiz Sami Storch, um dos pioneiros na utilização da técnica, trazendo grande evolução ao Judiciário.

Hoje, estudando e assistindo as Constelações Familiares, bem como, acompanhando clientes na prática, o que os permite uma visão ampla através do litígio, com os movimentos da alma produzidos e para integrar uma solução encontrada, quando encontrada, modificou a sistemática de fechar os ouvidos para comunicação e optar que o juiz decida, para ao contrário, das partes assumirem tal ato e assumindo as rédeas de suas vidas.

No judiciário de praxe, as Constelações, são realizadas antes das audiências de mediação ou conciliação, possibilitando o diálogo e a maior disposição destas para a solução da demanda, em alguns casos até reaproxima os demandantes.

Entretanto, como tenho visto a ocorrência das Constelações Familiares na Justiça, em específico na região que atuo os fóruns ainda não utilizam a técnica, de forma que sucede em escritórios de advocacia ou por conta, em que o cliente contrata um constelador para realizar o trabalho.

De modo que, na maioria das vezes possibilita as partes que se odiavam consigam ficar no mesmo local, ou melhor, conversam entre si e até podem chegar à composição de decisão conjunta benéfica a todos.

As benesses da Constelação Familiar é o que levo com esse conhecimento, advindo da alegria de permitir uma nova possibilidade de atuar com as partes na resolução dos seus conflitos, ampliando a visão da questão e compreendendo os movimentos necessários para encontrar a solução, com maior harmonia e integridade a todos os envolvidos.

Perguntas Rápidas

  • Escolho apenas um tratamento?

     Não, normalmente faço uma mescla de tratamentos para atender melhor 
  • Posso optar apenas pelas terapias complementares?

     Não, as terapias complementares como o nome diz, são complementos ao tratamento indicado pelo seu médico. 
  • O que está pegando? é suficiente?

     Não, ele é apenas um primeiro passo para sairmos da inércia objetivando o tratamento pleno 
  • Há algum tratamento online?

     Sim, vários! Entre em contato comigo e tire suas dúvidas!!! 

Cadastro de e-mail

Cadastre seu e-mail aqui para podermos entrar em contato com você!

Menu